ARTHUR

Lilypie Kids Birthday tickers

DANIEL

Lilypie Kids Birthday tickers

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Os primeiros meses com meu filho, ARTHUR!

Arthur, com 1 mês!

Gente, é maravilhoso ser mãe, mas também, bem trabalhoso!

Por esse motivo não tenho mais postado aqui no blog, não dá tempo!

Então, para finalizar por tempo indeterminado esse blog, quero agradecer a Deus pelo parto maravilhoso, pelo filho saudável, pelo marido dedicado... Obrigada, Jesus!

Mas antes de ir, gostaria de registrar a experiência das primeiras mamadas! E vou dizer, dói um bocadinho! Isso porque eu não tive problemas com rachaduras no bico!

A dor era mais na hora da saída do leite. Mas, graças a Deus, isso durou 1 ou 2 semanas.

Depois, sentia uma leve dor (tipo um latejar) quando estava próximo da próxima mamada, ou quando o Arthur chorava. É muito perfeita essa conexão mãe-filho! Outra coisa engraçada que acontecia era quando ele sugava um peito e o outro já começava a doer e a vazar leite.

Também durante os banhos, a água quente fazia jorrar leite. Frequentemente eu saia do banho com os seios pingando leite.

Uma dica: durante toda a amamentação, eu usei um bico de silicone no seio enquanto o Arthur mamava. É tipo um bico que imita o formato do seio. Isso evitou que meios bicos rachassem. Escutei muitas críticas, dizendo que isso não era bom, que a criança precisava sentir o contato da boca com o seio! Na boa, acho isso um exagero! O importante é que o leite materno está sendo ingerido e o carinho que recebe durante a amamentação. Não acho que o fato dele encostar ou não a boca diretamente no meu seio vai fazer alguma diferença.


Eu usei o bico de silicone, gostei e recomendo! O único contra, é que você tem que lavar bem o bico entre as mamadas e carregá-lo para todos os lugares. Fica meio dependente do treco. O Arthur acostumou tanto com o bico que não gostava de mamar direto no meu seio.

Outra dica: durante todo o tempo em que amamentei, usei umas conchas nos seios que impediam que o leite passasse para minhas roupas e que o seio 'empedrasse'. Quando elas enchiam um pouco, eu as esvaziava. O único problema era para dormir, porque as conchas iam enchendo e, como estava deitada, sempre vazava. Mas uma amiga minha me deu uma ótima dica para que isso não aconteça: é só colocar um algodãozinho dentro da concha, assim, ele vai absorvendo o leite que acumula ali durante a noite. Não sei como não pensei nisso...

Minha ideia era amamentar pelo menos até o Arthur completar 1 ano, mas, logo que ele começou a comer papinha, com 6 meses, não quis mais mamar! Eu insistia, mas ele virava o rostinho e não abria a boca nem por decreto. Foi o fim da amamentação, mas não do leite.

Então, resolvi doar meu leite, enquanto tivesse produzindo. Liguei para o banco de leite, eles enviaram uma pessoa até em casa que me orientou como tirá-lo (optei pela bombinha manual) e ainda levaram vidros esterelizados para armazenar o leite no congelador. Não deu muito não, acho que enchi só uns 3 ou 4 potes de 500g, mas com certeza, fez diferença para algum bebê.

Bom, é isso!

Um abraço a todos que compartilharam um pouco comigo da experiência da maternidade!








Arthur, com 2 meses!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

NASCEU!!! - Editado

Eu sei, eu sei... Estou em débito com todos. Mas, com esta postagem, vou me redimir!

A eco da qual falei na última postagem mostrou que o Arthur ainda não estava "madurinho" pra nascer. É possível verificar isso através da ausência/presença dos grumos (em linguagem de leigo, são pelezinhas do bebê que se desprendem do seu corpo e se misturam ao líquido amniótico) e dos graus de maturidade da placenta. Essa eco mostrou ausência de grumos e grau IIA (existe o grau I, IIA, IIB e III). Ou seja, o Arthur teve que esperar mais uma semana pra nascer, pois, sem grumos, nada feito! Detalhe: a vovó Norma e a bisa Nice vieram lá do norte do Paraná esperando que ele fosse nascer nesse dia! Acabaram prolongando a viagem mais uma semaninha...

Bom, agora já falei! O Arthur NASCEU dia 14/07/08, às 20h43, pesando 3,070 kg e medindo 48 centímetros. Ele é simplesmente ma-ra-vi-lho-so!!!! (hehehe, começaram as coisas de mãe)

Calma, está tudo devidamente documentado. Contarei em detalhes o que aconteceu nesse dia!

Fiz uma nova eco dia 14/07 para verificar as mesmas coisas da última eco. Nós só queríamos saber se tinha ou não o tal dos grumos! E tinha!!!

Verificando os grumos!

Com o resultado da eco em mãos, fomos ao médico super ansiosos, pois tínhamos quase certeza que ele marcaria o parto para o mesmo dia. Dito e feito!

Saímos do médico com a cesárea marcada para às 20h. Tive que fazer um jejum total desde às 08h, não pude comer nem beber nada (nem água!). Passei um pouco mal durante a tarde e o médico falou para eu tomar um copo de água com bastante açúcar.
O dia foi tranquilo, descansei, fiz a unha e chegamos no hospital às 18h30 para dar entrada no internamento. Fomos para o quarto indicado (301) e, às 19h40, uma enfermeira veio me buscar para levar ao centro cirúrgico.
No salão, fazendo as unhas para a chegada do Arthur!

No elevador, indo para o centro cirúrgico!

Gente, sorry, tenho que fazer uma pequena pausa agora para dar de mamá para o Arthur, depois continuo contando a história!

Continuando... (Alguuuuuns dias depois... 07/02/10! rs)


Rolei até o, quer dizer, entrei no centro cirúrgico e deitei em uma maca. A enfermeira disse que ia furar o dorso de minha mão para colocar um treco (não sei o nome técnico, alguém sabe?) que depois seria útil para a aplicação dos remédios, e fez o seguinte comentário: - Isso aqui dói mais do que a anestesia! (E nem doeu tanto assim...) Sabe que isso me tranquilizou? Porque estava com medinho da anestesia. Depois chegou o anestesista, pediu para eu sentar na maca e abaixar... E, pic! A tão temida anestesia foi super tranquila, porque sabia que não doeria mais do que a picada da mão. Tomei a peridural.


Assim que deitei, ainda sentia minhas pernas e conseguia mexê-las. Preocupada (depois de ouvir tantas e tantas histórias de que a anestesia de fulana não pegou e ela sentiu tudo...), falei para o anestesista. Aí, ele falou: - Tenta mexer de novo. Não conseguia! rs


Aí, chegou meu médico e a instrumentadora e começaram a ajeitar os instrumentos cirúrgicos e colocaram aquele paninho verde na minha cara! (Há, eu contratei um cinegrafista para gravar o parto, e ele estava me acompanhando desde a entrada no centro cirúrgico! Recomendo que todas façam isso! É uma excelente recordação. Acho que valeu a pena pagar R$ 300,00.)

Olha aí, tudo sendo registrado pela câmera!

Quando estava tudo preparado para o Arthur nascer, meu marido pôde entrar e ficar ao meu lado. Eu estava tremendo que nem vara verde... Efeito da anestesia. De resto, estava me sentindo bem.


E então, às 20h43, o anestesista empurrou minha barriga e depois levantou minha cabeça para eu ver o Arthur saindo. A verdade é que todo o conhecimento que você adquire durante a gestação (livros, revistas, experiências alheias...) não te preparam para isso! Levei um choque (o primeiro!) quando vi sua cabeça saindo da minha barriga! E então, ele nasceu!

Braço do anestesista, empurrando minha barriga! Cara de dor... Não era bem uma dor, mas incomodou um pouquinho, deu um pouco de falta de ar!

O segundo choque foi quando o pediatra trouxe ele até mim! Nunca vou me esquecer daquela cena! Foi IN-CRÍ-VEL! Ele encostou o Arthur no meu rosto e eu senti o seu corpinho quentinho e úmido! Meu Deus, que emoção! Fiquei um tempinho ali com ele, fiz um carinho na sua cabeça e depois levaram ele para fazer os procedimentos.

Momento dos momentos!


Depois, acho que fiquei uns 40 minutos enquanto eles costuravam as (7?) camadas da minha barriga. Durante o processo, levaram o Arthur mais uma vez para eu ver, desta vez, todo enroladinho num pano. E depois o levaram para o povo todo que estava lá no berçário para conhecê-lo, familiares e amigos. (Confira as expressões do povo no primeiro vídeo abaixo! Muito legal!)

Indescritível!

Bom, depois que me costuraram, tive que ficar 1 hora em observação, antes de me levarem para o quarto. Fiquei ao lado de outra moça que também tinha acabado de ter nenêm. Como ambas estavam meio grogues, nem deu para batermos papo. Só me lembro da enfermeira fazer a minha perna de mesa toda hora, já que eu não estava sentindo nada. Colocava a prancheta em cima dela, escrevia, etc...


Chegando no quarto, por volta das 23h/23h30 (o Arthur nasceu 20h43!), já estava com as pernas formigando e ansiosérrima pra rever meu pequenucho! Alguns minutos depois ele chegou! Foi o terceiro choque! Era meu! Todinho meu! E agora?


Não é lindo? hehe...

Bom, com a ajuda de uma enfermeira, tentamos fazer ele mamar, mas não deu porque eu estava com um monte de fios pendurados na minha mão, não conseguimos tirar minha camisola (ela abria por trás) e eu não conseguia me mexer, pois ainda estava anestesiada. Lembro da enfermeira falando: - Sei que está com muita vontade de amamentar, mas não tem problema se ele não mamar agora! E explicou da reserva que o bebê tem ao nascer, etc, etc...


Dei o primeiro mamá, no dia seguinte, quase 24 horas depois que ele nasceu. Confira o segundo vídeo e veja a técnica da enfermeira para que o Arthur pegasse o bico do meu seio.

Eu, redonditcha, dando mamá pela primeira vez!

No 3º vídeo aparece a enfermeira trocando o Arthur e o mecônio, que são as primeiras fezes eliminadas pelo bebê (cenas fortes! hehe).

1º) Vídeo gravado de fora do berçário, quando o papai foi mostrar o Arthur para os amigos e familiares!

video


2º) Vídeo da primeira mamada!

video


3º) O tal do mecônio

video

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Cardiotocografia


Queridos amigos!

Essa semana fiz um exame de rotina chamado cardiotocografia. Ele avalia a vitalidade fetal através dos batimentos cardíacos do bebê e também se há presença de contrações. Está tudo bem, graças a Deus, e também há presença discreta de contrações, embora eu não sinta nada, ou não saiba identificar.

Nessa segunda, pela manhã, farei uma ecografia para analisar a maturidade da placenta. Se tudo estiver bem, ou seja, se já estiver "madurinha", farei uma cesárea à noite.

Espero que dê certo. Não vejo a hora!

Darei notícias assim que tiver novidades!

Um abraço a todos.

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Está quase na hora!

As idas ao ginecologista tornaram-se semanais, desde a 35ª semana.

Agora estou com 37 semanas e a previsão para a cesárea é dia 15/07 (terça). Como é de se esperar, estou bem ansiosa, mas confiante de que tudo dará certo.


Acredito que não esteja faltando mais nada para a chegada do Arthur. Graças a Deus, já compramos tudo (eu espero!).

Abraços!

terça-feira, 17 de junho de 2008

Na expectativa!

Olá, pessoal!

Sem novidades... Estou apenas na expectativa para a chegada do Arthur. Já estou com 35 semanas e 2 dias!

Já deixei a malinha dele pronta para levar para a maternidade. E também lavei suas roupinhas...


Na última eco que fiz (com 33 semanas), o Arthur estava com aproximadamente 2,444 Kg e medindo 43 cm. Também deu para ver que ele é cabeludo... hehe








Beijos a todos!

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Particularidades do 7º mês

Oi, pessoal.

Não tenho postado com muita freqüência pois não há muitas novidades. A disposição para sair de casa, no meu caso, não tem sido muito boa (embora me sinta muito bem), pois as idas ao banheiro são cada vez mais freqüentes, e, às vezes, sinto uma leve dor no chamado "baixo ventre" ao caminhar (normal para esta época).

Há algumas particularidades neste período que quero registrar: o bebê mexe muito, e com mais vigor. Não dói, mas, de vez em quando, principalmente quando você deseja relaxar um pouquinho, lá está ele, fazendo a maior bagunça! Mas graças a Deus por isto, pois o médico disse que é sinal de saúde! Às vezes, sinto pequenos espasmos regulares, e descobri que são soluços, acreditam? É um fenômeno comum a partir da segunda metade da gestação, e pode ocorrer várias vezes ao dia, ou pode nunca acontecer.

Outro pormenor desta fase é a azia. Tive poucas vezes, mas, como é algo que raríssimas vezes eu tinha, incomoda um pouquinho.

Também há a dificuldade para dormir, como se fosse uma insônia. Isso se deve ao fato da proximidade do parto, que gera ansiedade, segundo as leituras que tenho feito sobre o assunto.

Acho que por hoje é só!

Abraços a todos que têm me acompanhado nessa maravilhosa viagem!

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Compras e mais compras!

Oi, pessoal!

Pois é, o Arthur ainda não nasceu, mas já sentimos no bolso sua chegada tão esperada! (risos)

Tivemos que trocar de carro, pois o nosso antigo tinha o porta-malas que era uma piada (não cabia nem um carrinho de bebê)!

Optei por deixar para comprar as roupinhas dele todas de uma só vez e em uma única loja. Achei melhor fazer assim para economizar tempo e evitar excessos, e, acho que consegui. Detalhe: a maioria absoluta das roupas para meninos é verde ou azul! Um verdadeiro monopólio, não há muita opção...

Mas ainda não sei até quando servirão as roupinhas que comprei (só comprei RN e P). Depois que ele nascer eu conto. Para essa compra, pesquisei na net listas de enxovais e fiz uma compilação do que achei realmente necessário.

Deve ser tudo bem mais fácil quando não se é mãe de primeira viagem! Você já sabe exatamente o que precisa, o que é ou não supérfluo, etc... Quando se espera um bebê pela primeira vez, você faz tudo no "achômetro" e pelo que outros dizem de suas experiências. Mas não tem como ser diferente.

Agora, faltam poucas coisas, mas, até a chegada do Arthur, creio que já teremos adquirido tudo!

Estou postando abaixo uma foto da "comprinha" de hoje.

Beijos!

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Quartinho do Arthur

Como prometi, aqui estão algumas fotos do quartinho do Arthur para quem não pode ver pessoalmente. Ainda faltam os objetos de decoração, os puxadores, o berço, etc...

Desculpem-me, mas não consegui virar algumas fotos!


terça-feira, 29 de abril de 2008

Engordando na gravidez!

Então, gente, como eu havia dito, hoje fui ao médico e recebi boas notícias: consegui engordar só 1 kg do mês anterior até hoje.

O médico disso que 1 kg é o mínimo para se engordar na fase em que estou (conta-se o peso do bebê + líquido amniótico + placenta + retenção de líquidos). Fiquei super feliz! E olha que eu não estou sendo muito disciplinada com relação a não comer doces, mas dei uma boa freada, e também troquei o leite integral pelo desnatado.

Para vocês terem uma idéia da vitória alcançada, vou mostrar a minha evolução "gordural" desde o início da gravidez:

23/11/07 - 58,5 Kg (descoberta da gravidez)
07/12/07 - 61 Kg (aumento de 2,5 Kg)
21/01/08 - 65,4 Kg (aumento de 4,4 Kg)
22/02/08 - 67,7 Kg (aumento de 2,3 Kg)
24/03/08 - 71,2 Kg (aumento de 3,5 Kg)
29/04/08 - 72,2 Kg (aumento de 1 Kg)

Viram? Foi um avanço e tanto! Se eu conseguir continuar nesse ritmo, dá pra engordar só mais 2 Kg até o fim da gestação, ficando um saldo de 15,7 Kg do início ao fim da gravidez.

Agora, ele recomendou que eu tome bastante leite (1/2 L por dia, pelo menos), coma peixe do mar (que contém iodo e faz bem para o neném), ovos e carnes! Hummm... Até bobo come essas coisas, né?

Outra novidade nessa consulta foi que ele pediu para que eu comece a preparar o seio para a amamentação, a fim de evitar fissuras, etc. Já ouvi muitas pessoas comentarem que se deve fazer isso desde o início da gravidez, mas meu médico falou que isso pode até trazer riscos para o bebê, e que o ideal é que se inicie a preparação a partir do 6º/7º mês.

A preparação é feita da seguinte forma: deve-se passar uma pomada (ele recomendou a Massê), 2 vezes ao dia, no mamilo, até que ela seja toda absorvida. Em seguida, deve-se massagear os mamilos com as pontas dos dedos, em todas as direções, para os lados, puxando para a frente, etc. Só isso!
Também conversamos sobre o parto. Ele me explicou várias situações que podem acontecer, como mulheres que querem parto normal, mas na hora, seu corpo não está preparado e precisam fazer cesárea, ou vice-versa. Mas, por fim, ele disse que eu posso optar, se tiver condições para ambos os tipos de parto, entre um e outro. Isso me tranqüilizou um pouco, pois estava receosa de que ele fosse totalmente contra eu querer fazer uma cesárea.

Estou com 28 semanas e 2 dias, a contar da DUM (data da última menstruação).

Ouvimos também o coraçãozinho do Arthur, com 140 bpm (batimentos por minuto). Ou seja, ele está ótimo! Graças a Deus!

Como estou na 28ª semana, ele pediu também novos exames de sangue (alguns novos e outros que já havia feito no início da gravidez), inclusive um para verificar se não estou com diabete gestacional. Mas tudo isso são exames de rotina.

Acho que por hoje é só!

Beijos!

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Cesárea ou parto normal?

Amanhã vou ao médico, e meu marido vai me acompanhar.

Estou ansiosa, pois vou ver se deu algum resultado na balança ter "evitado" açúcar neste último mês.

Também pretendo conversar com ele a respeito do parto, já que estou no 7º mês e ainda não falamos profundamente sobre o assunto. Quero fazer cesárea! Não sou corajosa nem aventureira o suficiente para enfrentar um parto normal! Espero que ele me entenda!

Quartinho do bebê: quase pronto!

Hoje vieram montar o quartinho do Arthur, presente das duas vovós: vovó Antônia e vovó Norma!

Resolvi mandar fazer o quarto, ao invés de comprar pronto, devido ao espaço ser muito pequeno. Assim, pude aproveitar ao máximo todos os cantinhos!

Uma das coisas bem funcionais nesse quartinho é o trocador: em cima da cômoda há um armário cuja tampa, quando abre, vira trocador. Não sei se deu pra entender! Mas, assim que descobrir como, vou colocar umas fotinhos do quartinho para vocês verem! Ficou lindo! Agora só falta o berço, que ganhei de uma amiga minha!

É engraçado dizer isso, mas agora, com o quartinho, parece que a chegada do Arthur ficou ainda mais real!

Obrigada vovós!

sábado, 26 de abril de 2008

Passeios: bons, mas cansativos!

Hoje fui ao Centro com minhas amigas, enquanto meu marido estava na aula. Nos divertimos muito, falamos muito, demos muitas risadas...

O único problema de sair com uma gestante é que você precisa acompanhar o seu ritmo, ou seja, lento e com paradas sanitárias!

Cheguei em casa com dor no pé e nas costas, mas valeu a pena. Amo vocês, amigas!

Eis o motivo da dor nas costas!

Noites mal dormidas

Oi, gente!

Quero que saibam que, apesar de falar de estrias, inchaços, enjôos e noites mal dormidas, estou adorando essa fase da minha vida. Tudo é realmente maravilhoso e compensador!

Bom, com relação às noites mal dormidas, é o seguinte: imagine você ter que se virar de 30 em 30 minutos de um lado para o outro, e, mais ou menos, de 2 em 2 horas, levantar para ir ao banheiro. Imaginou? Agora, junta-se a isso, o fato da pessoa, no caso, eu, ter sono leve e simplesmente perder o sono em plena madrugada. Coitado do meu marido que tem que acordar cedo... Ele também não está conseguindo dormir direito, claro!

Esses dias fiquei pensando que isso já é uma preparação para as noites que virão quando o Arthur chegar, pelo menos nas primeiras semanas!

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Inchaço nas pernas e estrias!

Inchaço nas pernas!

- Ontem, percebi que minha canela estava muito inchada, pois, quando tirei a minha meia, ficou um desnível grande entre a parte que estava o elástico da meia e o restante da perna. Fiquei um pouco assustada. Mas, li que isso é muito comum no início do 7º mês. Domingo, dia 27/04/08, entro no 7º mês.
- Para evitar esse inchaço é importante diminuir o sal dos alimentos, fazer caminhadas ou hidro, usar meia elástica e colocar as pernas para cima no fim do dia.
- Como está mais friozinho ultimamente, acho que vou conseguir usar a meia elástica com mais frequência, o que não estava conseguindo fazer, devido ao calor. E, tentarei (eu prometo!) criar uma rotina de caminhadas! Segunda-feira eu começo!

Estrias! Argh!!!

- Desde o início da gravidez, estava preocupada com as estrias, pois já sabia que tinha tendência para tê-las! Dito e feito!
- Mesmo me lambuzando de óleo e passando creme, elas apareceram. A barriga ainda está intacta, mas, ontem, percebi uma minúscula estria querendo aparecer! Fiquei desesperada! Já marquei uma consulta com um dermatologista para ver o que pode ser feito.
- Mas, o que me conforta, é que estou fazendo a minha parte, e, se mesmo assim não adiantar, tenho que me conformar e saber que valerá muito a pena!

Do desejo de engravidar até o início do 7º mês de gravidez

- Havia já algum tempo (para não dizer, anos!) que estava com vontade de engravidar, mas percebia que meu marido não tinha o mesmo desejo. Entendi que ainda não era o tempo...
- Até que ele começou a manifestar o mesmo desejo que eu. Então, tirei o DIU dia 28/04/07. E, a cada mês, uma nova expectativa nascia, mas logo acabava. Meu médico havia me dito que, em média, demora-se de 7 a 12 meses para engravidar. Então, mesmo ansiosa, sabia que estava tudo certo.
- Foi então que, no dia 23/11/07, através de um teste de farmácia (que fiz às 04h45!), a boa notícia veio. Deu positivo! Chorei de alegria! Meu marido ainda estava dormindo (obviamente!), e o acordei para contar! Ficamos exultantes de felicidade! A alegria foi tanta que acordei meus familiares e amigos para contar a novidade!
- No primeiro trimestre há uma certa tensão, pois o risco de um aborto espontâneo é mais latente. Mas, graças a Deus, deu tudo certo.
- Ah, já ia me esquecendo! Os enjôos... Tinha sempre que ficava com fome (ou seja, praticamente de 2 em 2h) e quando eu acordava. Tinha que levantar correndo e comer alguma coisa, senão... Outra coisa que me enjoava bastante era o cheiro de determinados produtos, como o sabonete DOVE, o desodorante do meu marido, um tapete que costumava usar na cozinha, entre outros. Mas os enjôos foram diminuindo gradativamente, e, no início do 4º mês, já ficaram raros. Ainda bem!
- Realmente, as mulheres grávidas ficam mais sensíveis. É como uma TPM gestacional (coitados dos maridos!). Mas, diferentemente da TPM, tive poucas alterações de humor, mas, em compensação, tinha vontade de chorar até em propaganda de palito de dente!
- No começo da 19ª semana, senti o Arthur mexer pela primeira vez, mas tive dúvidas de que era ele mexendo ou apenas gases. Mas, com o tempo, passei a discernir bem. É uma sensação indescritível!
Related Posts with Thumbnails