ARTHUR

Lilypie Kids Birthday tickers

DANIEL

Lilypie Kids Birthday tickers

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Entre o futebol e o biquini

O FUTEBOL

A camiseta de time do Arthur (Atlético Paranaense!) vai sair andando sozinha! É difícil conseguir lavar a bendita! Eu tiro para ele tomar banho, ele já fica de olho pra ver onde eu coloquei... Depois já pede: Gol! Gol! Gol! E não tem jeito, se eu não coloco, ele faz um escândalo. Ele usa até pra dormir!

Pra conseguir lavar esses dias tive que armar um esquema! Tirei dele, deixei do lado avesso, debaixo de outra roupa, bem rápido, pra ele não perceber a movimentação. Só assim! E depois, quando a viu pendurada no varal, tive que colocar nele, ainda meio úmida! É o orgulho do papai!


O BIQUINI

Estava me arrumando pra sair, tentando colocar um lenço na cabeça havia umas 3 horas... Coloca o lenço, tira o lenço, abaixa a cabeça, coloca, tira, se irrita... coloca, tira...

O Arthur me observando de longe.

Ele resolveu me ensinar como fazer o treco: abriu a gaveta, pegou a primeira coisa que encontrou e começou a me imitar. Depois, ficou zanzando pela casa desse jeito! Papai não gostou nada disso!

Concurso do Milênio!

Caríssimo Astronauta, achei simplesmente o má-xi-mo sua idéia (ops... ideia) de prestigiar os leitores de seu blog com um post! Um verdadeiro concurso cultural, com incentivo à leitura e escrita.

E o que é bom deve ser reproduzido, não é não?

So...


Já dizia o saudoso Chacrinha (Alô, alô, Teresinha!!!), nada se cria, tudo se copia...

Por isso, implantarei aqui também essa ideia (com a devida autorização, claro! Obrigada, Flávia.). 

Porém, um pouco diferente!

Os vencedores serão os múltiplos de 1.000!

Começando agora com o 2.000... (Tá chegando!) Depois 3.000, 4.000, 5.000...

Copiei também as instruções (pra que mexer no que está bom, né?):

Manual de instruções:


- Se você for o visitante 2.000 (3.000, 4.000...) e quiser participar da brincadeira, é bem simples: basta deixar um recadinho (de preferência como anônimo, para aumentar o suspense), dizendo: Sou o visitante 2.000. 


- O seguinte passo é fazer o post, com o conteúdo que desejar (free style): pode divulgar seu blog, contar um pouco de você, copiar uma música, contar uma piada, deixar uma sugestão, uma receita, uma poesia... (também pode complementar o texto com uma imagem, foto, link ou vídeo)

- Quando tiver pronto, enviar o post para meu e-mail (mzattoni@gmail.com), para eu publicá-lo em seguida.

*Importante: se o leitor que chegar ao "número do milênio" não se identificar, então, o “concurso” fica valendo para o primeiro que o fizer (2.001, 2.002, 2.003…), até chegar no corajoso que não fuja da raia.
ESTÁ LANÇADO O CONCURSO DO MILÊNIO!


Obaaaa! Estou super mega hiper blaster power animada, ansiosa e curiosa para ver os posts que virão!

Que venha o 2.000!

Obrigada a todos!

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Meu blog na TV!

Oi, amigas (os) blogueiras (os)!

Participei de uma entrevista sobre mães na internet! Tem um especialista que dá algumas dicas para nós, mamães e papais internautas!

A repórter diz que atualizo o blog 1 vez por mês. Não é bem assim... rs

Tá aí o link para quem quiser assistir!
http://www.clickric.com.br/ric.com/videos_programa.asp?estado=pr&id_prog=17&id=7411&cidade=12

quinta-feira, 22 de abril de 2010

O PLANO! - Editado!

Esse post é proibido para meu marido, escutou mô? Você NÃO PODE lê-lo!

SEM-PRE disse que queria ter uns 3 filhos, porque gosto de casa cheia, crianças correndo pela casa, velhos contando histórias, cheirinho de café no ar, bolo assando no forno... com os conflitos existentes em qualquer convívio humano, naturalmente... enfim, uma re-união de família diária, tipo propaganda de suco!


Meu ideal de família completa nunca foi composto por uma única criança. E tem mais umas coisinhas embutidas... Queria gerar meus filhos próximos um do outro, com diferença de no máááááximo 3 anos!

O Arthur está com 1 ano e 9 meses e, pelos meus cálculos, tenho até outubro/2010 para engravidar, para que meu ideal não se vá, como uma pena ao vento, a la Forrest Gump!... Só tem um pequeno probleminha... Marido não quer!!!

Pelo menos, não agora... Ele alega falta de espaço em casa. Realmente, nossa casa só tem dois quartos, o nosso e o do Arthur. Mas nada que um beliche não resolva, não é? A gente quer mudar de casa, mas isso vai demorar um pouco, eu acho.

Pensem comigo, os prós são bem mais relevantes que os contras.
1. o Arthur vai crescer com um irmãozinho (a), o que vai fazer toda a diferença no seu desenvolvimento;
2. eu terei mais pique para cuidar do bebê (não contem pra ninguém, mas vou fazer 31 esse ano! Oh, God!);
3. as coisas ainda estarão fresquinhas na minha memória (o blog vai ajudar um bocado, é verdade);
4. quanto mais nova eu for, menos riscos à saúde do bebê e à minha;
5. quanto mais demorar pra vir o outro bebê, mais "fora de moda" ele vai ser! (Contribuições da Ana Paula! Obrigada, amiga!)
6. Lembrei de mais um: quanto mais jovem, mais rápido o corpo volta ao normal!


Estou bolando alguns planos... 1. Deixar uma agulha ao lado da borracha anti-famíliafeliz e, na hora H, como quem não quer nada, disfarçadamente, dar uma picadinha nela, sem que o maridão perceba; 2. ... na verdade, não tenho mais planos! Aceito sugestões! Mais alguém???

MOVIMENTO SANGUENOZÓIO ou Campanha FICHA LIMPA

Já que esse site é sobre maternidade, nada melhor que cuidar para que o país de nossos filhos seja cada vez melhor, né?

Eu aderi!

Fiquei sabendo por aqui:
http://piscardeolhos.wordpress.com/2010/04/19/panelaco-descontrol/

Para assinar a petição, clique aqui:
http://www.avaaz.org/po/

terça-feira, 20 de abril de 2010

Mãe é cega? ou Inseguranças maternas

Aos domingos, vamos à igreja e faço questão de deixar o Arthur na salinha própria para crianças de sua idade (nascidas em 2008). É sua única oportunidade durante toda a semana de ter algum contato direto com outras crianças.

Agora visualizem a cena:

Eu era a ÚNICA MÃE na sala! Todas as crianças brincando, felizes, sem seus pais, EXCETO o Arthur, que estava chorando, sabe-se lá porque, agarrado na minha calça!

Nesse momento, pude "ouvir" os pensamentos da professora e sua auxiliar:

- Tá vendo? Quer proteger demais a criança e é isso que acontece!

Ao mesmo tempo, num diálogo telepático, eu disse:

- É que ele ainda está se adaptando. Logo, logo vai sentir-se mais seguro, e então, vou poder deixá-lo!

Uma terceira voz (acho que do meu senso crítico) chegou gritando:

- Mariana, você não está vendo que está protegendo demais o menino? Deixe ele aí, chorando, e sai da sala. Assim ele nunca será independente! Você é a culpada!

Acontece que o Arthur saiu recentemente do berçário e está indo a pouco tempo nessa nova salinha. A mudança é drástica! Antes ele era um bebê, agora já senta na mesinha, come bolachinha e toma suquinho sozinho.

Presenciei muitas mães que entram, deixam a cria chorando, e saem, na boa! De certa forma, admiro a coragem, mas penso no sofrimento da criança, que, aos berros, fica... ops... já parou de chorar! Está brincando!

Será que estou certa? Será que estou errada?

Meus conceitos de mãe moderna e inexperiente adquiridos em leituras especializadas (outras, não muito!) me dizem que devo encarar de frente o fato de que meu filhinho precisa passar por certo sofrimento, para poder superá-lo e crescer, tornando-se uma criança independente e feliz!

É bem mais fácil quando o problema é do outro, né? A gente tem a resposta na ponta da língua!

Arthur Button, o beijoqueiro!

Daí, estávamos passando pela sala da vovó e o Arthur resolve dar uma paradinha para dar uma bitoca na parede.

Chegando em casa, fomos tomar banho e ... Smack!!! Outro beijo, agora no box do banheiro!

Depois, foi a vez da banheira... Essa, além de beijinhos carinhosos, também ganhou tchau, com direito a beijinho na mão e tudo!

O banho foi tão gostoso e demorado que depois o Arthur poderia até ser chamado pra participar do filme O curioso caso de Benjamin Button, de tão enrugadinho que ficou!

sábado, 17 de abril de 2010

Selinho - Editado

Se você pensou em selinho (beijo), só me resta dizer: Ô, mente poluída! hehe...

Não é nada disso!



Ganhei o selinho abaixo, muito fofo, da Ana, do Mãe Mochileira... filho malinha! (Obrigada, querida!) e das Malinhas sem alça (Obrigada, meninas!). 



E a regra é clara! Eu acho... Ganhe o selinho e indique mais 10 blogs que poderão ostentar o mimo!

And the Oscar goes to...

1) http://annacmorais.blogspot.com/
2) http://ummundoparaoben.blogspot.com/
3) http://meucantinhocieleecarlos.blogspot.com/
4) http://achadoseperdidosescritos.blogspot.com/
5) http://muitosecreto.blogspot.com/
6) http://mudandodeendereco.wordpress.com/
7) http://maedarua.com.br/
8) http://coisasquemeinspiram2.blogspot.com/
9) http://ostrigemeos.blogspot.com/
10) http://www.kellehampton.com/

That's all!

Timidez

Não sei se posso dizer que o Arthur é uma criança tímida. God, ele só tem 1 ano e 9 meses!

Mas, o fato é que, quando saímos e ficamos entre pessoas que ele não tem contato muito frequente, ele fica mudo e quietinho "num canto" (leia-se colo da mamãe ou do papai).

Se ficarmos no local por um bom tempo, aí, ele vai se soltando (geralmente, na hora de ir embora).

Será que já posso prever que ele será uma criança e adulto tímido? Eu não me considero tímida, mas seu pai é. Será que ele "puxou" a genética paterna?

Alguém aí pode me contar sua experiência com seu filho, nesse quesito, TIMIDEZ?

Agradeço desde já!

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Das malandragens de um bebê

Coloco o Arthur no berço, com a pê (chupeta) e o chê (cheirinho), apago a luz e saio do quarto.

- Mãe?

Eu grito de longe:

- Oi?

- Cocô! Cocô! Cocô!

Entro no quarto, acendo a luz, levanto o bumbum dele na altura do meu nariz, dou aquela cafungada básica, e NADA!

Coloco ele no berço, apago a luz e saio do quarto.

- Mamá! Mamá! Mamá!

Vou até a cozinha, esquento o restinho que sobrou no micro, levo até o quarto, levanto ele (estou tirando da mamadeira), dou o mamá no copinho, coloco a pê, apago a luz e saio do quarto.

- Dodói! Dodói! Dodói!

Comecei a desconfiar que era malandragem, mas, pensei: - Vai que ele bateu a cabeça na grade do berço, ou enroscou o pé na greta, ou se arranhou sem querer, sei lá...

Entro no quarto, acendo a luz, verifico se está tudo bem, e está!

Apago a luz e saio do quarto!

SILÊNCIO!

Acabaram-se os recursos!

Espero um pouquinho e vou lá conferir. Olha a situação:

Calvin, no Planeta Zog!

terça-feira, 13 de abril de 2010

Noites inspiradoras!

Estava aqui, revendo algumas fotos e vídeos do Arthur e espantei-me em constatar como o tempo passa (... o tempo voa... E a poupança Bamerindus continua numa boaaa... Lembram? hehe... Voltando...

Estou muito feliz em ser MÃE! E como esse pequeno substantivo pode nos mudar tanto!

Tudo começa aqui, em apenas um toque, como um toque de mágica, eis que surge uma MÃE, um AMOR maior do mundo, um CUIDADO selvagem, uma DOR no peito...

Eu, que nunca tinha tido meus olhos enchidos de lágrimas só de olhar para alguém!

Eu, que nunca havia me emocionado com histórias de mães!

Eu, que sempre olhava feio para a mãe do menino que estava se jogando no chão do supermercado!

Eu, que não tinha a mínima noção de como o coração podia ficar apertado por causa de uma vacina!


Eu, que tenho uma memória parecida com a de um peixe, nunca imaginaria saber de cor todas as palavras de alguém!

Eu, que ainda tenho mente de adolescente (sonhadora... inquieta... irritante, às vezes), me vejo planejando os detalhes do dia (o que comer, o que vestir, o que fazer...), do ano (o que aprender, onde estudar...), de uma vida inteira (quanto economizar...), para dar o melhor pra meu filho!


Oh, céus! Eu, que era tão feliz, nunca pensei que podia ser ainda mais!

E como diz o provérbio bloguês: Ser mãe é... descobrir o paraíso!

sábado, 10 de abril de 2010

Prevenção de Acidentes - Segurança no dia-a-dia

Mais dicas, agora sobre como proteger nossos filhos dos perigos do dia-a-dia!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Febre: mitos que determinam condutas

Minha prima tem uma filhinha que, recentemente, teve convulsão febril.


Presquisando sobre o assunto, ela me enviou um link muito esclarecedor sobre o assunto, que parece ser de fonte segura (com os selos da Organização Mundial de Saúde e Ministério da Saúde).

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/HSE_URM_FEB_0804.pdf

Vale a pena dar uma olhadinha!

O id nosso de cada dia

Gente, esse tal de id tá dominando o pedaço aqui em casa!

Freud, em sua hipótese estrutural (id, ego e superego), diz que o id compreende as representações psíquicas dos impulsos, o ego consiste naquelas funções ligadas às relações do indivíduo com seu ambiente e o superego abrange os preceitos morais de nossas mentes, bem como nossas aspirações ideais.

No sou psicóloga, nem nada, e muito menos conhecedora profunda da psicologia psicanalítica, apenas me ocorrem algumas analogias do pouco que estudei sobre o assunto com o que acontece aqui em casa, de vez em quando.



Segundo nosso amigo Freud (que ele não se revire na tumba), o id, quando nascemos, compreende a totalidade do aparelho psíquico, e, com o crescimento, o ego e superego vão se diferenciando. Ou seja, na tenra infância, a criança não está muito interessada em seu meio ambiente ou no seu desenvolvimento moral. A ordem é: "Me dá..." ou "Faz isso..." Ou, numa linguagem mais acadêmica, o ambiente é apenas fonte de gratificação ou descarga de seus desejos, necessidades e tensões psíquicas!

Arthur, num momento id total manha!


Id total manha. Modalidade - barrigada no chão!

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Calvin no pediatra - II

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Prevenção de Acidentes - Segurança em casa

Todos os anos, milhares de crianças são vítimas desses acidentes em decorrência de falta de informação, cuidados no dia-a-dia, modificações no meio-ambiente e legislação e fiscalização adequadas.

Esses folhetos são da Criança Segura, uma organização sem fins lucrativos, qualificada como OSCIP - Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - que tem como missão promover a prevenção de acidentes com crianças e adolescentes de até 14 anos.  

terça-feira, 6 de abril de 2010

Calvin no pediatra

Chovendo no molhado? - Vacina H1N1

Esclarecedor o e-mail da Drª Cristine Pilati Pileggi Castro, infectologista, intensivista e diretora técnica do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Resolvi postar sobre esse assunto (que já está mais do que comentado no mundo bloguístico... rs) porque descobri recentemente (fiquei até um pouco assustada...) que há pessoas que não se vacinam (Nenhuma vacina!) e que propagam isso com orgulho pela Internet!

O Arthur já está vacinado. Daqui a 1 mês, tem a segunda dose!



Segue o e-mail:

Caros colegas,

Decidi escrever um email com algumas informações sobre a vacina contra a influenza (gripe) depois de ter recebido, somente no dia de hoje, 4 emails de amigos me pedindo informações ou opiniões sobre o "genocídio programado pela WHO e pela indústria farmacêutica".

Sou da opinião que quando recebemos um email muito apelativo, com informações que causam medo ou pânico, especialmente se tiver vários tipos e tamanhos de letras multi-coloridas, devemos acionar o desconfiômetro e checar informações.

Primeiramente, acho que todos merecem saber como uma vacina contra influenza é pensada e feita, para poder entender algumas coisas.

A Organização Mundial da Saúde (WHO) monitora os casos de influenza no mundo, e sabe que tipo de vírus está circulando em casa parte do nosso planeta. Assim, monta o que é chamado de pool vacinal: o conjunto de cepas (tipos) de vírus influenza que circularam com maior frequencia em cada hemisfério. A partir deste pool vacinal é que a vacina é feita. Como? Através da inoculação de vírus em ovos embrionados de frango. Estes vírus depois são inativados, e a vacina em si é manufaturada.

A vacina para a tão famigerada gripe A nada mais é que a cepa A/H1N1 do vírus influenza (que circulou entre nós no ano passado), sozinha ou associada a mais duas cepas da influenza sazonal (gripe comum).

Ou seja: todos os anos nossos idosos são vacinados contra a influenza no Brasil, e nunca se ouviu falar que isso fosse um plano montado pela Novartis ou pela Sanofi-Pasteur ou pela GSK, ou mesmo pelo nosso tupiniquim mas eficientíssimo Instituto Butãtã para exterminá-los.

Os adjuvantes da vacina (timerosal e esqualeno) servem para aumentar a resposta imune, e são adicionados a algumas vacinas. Como a sua concentração é ínfima, não há riscos à exposição ao timerosal outros que reações locais (dor, vermelhidão). Entretanto, recomenda-se que gestantes e crianças até dois anos de idade não recebam vacinas com adjuvante. Tanto a rede pública quanto a rede privada dispõe de vacinas contra a influenza sem adjuvante reservadas especialmente para estas populações.

A vacina contra a influenza A tem sido administrada em milhões de pessoas no hemisfério norte desde o final de 2009, assim como em milhões de pessoas na Australia e na Nova Zelândia, e não há relatos de óbitos ou qualquer outro efeito grave associado a ela. É verdade que vacinas feitas a partir de vírus vivos atenuados podem causar um tipo de paralisia chamada de síndrome de Guillián-Barré**, mas isso é raro.

As únicas pessoas com contra-indicação à administração de vacinas feitas a partir de ovos embrionados (como a da influenza) são as que tem alergia a ovos. Portanto, se você come salada de batata com maionese, e come xis com maionese e ovo, se come pizza ou mesmo aquela boa e gorda a la minuta e nunca teve coceira, inchaço no rosto ou dificuldade respiratória, fique tranquilo!

Outra coisa que é importante saber é que vacina é vacina, e Tamiflu é Tamiflu. Cada um no seu quadrado!

A vacina é um liquido contido dentro de uma seringa (se na rede privada) ou dentro de um vidro onde cabem 10 doses (se na rede pública) que serve para estimular nosso sistema imunológico a produzir anticorpos (defesas) contra uma doença - no caso, a gripe.

O Tamiflu é o nome comercial do oseltamivir, um remédio que inibe a replicação do vírus influenza, e serve para tratar a doença. E não, ele não é feito a partir do anis estrelado.

Ou seja: vacina serve para prevenir. Tamilfu serve para tratar o que não foi prevenido.

Obviamente que a decisão sobre vacinar-se ou não é individual, e não há uma obrigatoriedade, por parte do governo ou de quem quer que seja, para que as pessoas se vacinem. Entretanto, quem já teve um quadro de influenza sabe muito bem o quão incapacitante essa doença é: pelo menos 3 dias de febre alta e contínua, com muita dor no corpo e dor de cabeça. Quem já viu casos graves de pneumonia viral primária pelo vírus influenza sabe muito bem o quanto é angustiante (para o médico e para a família) ver uma pessoa jovem, muitas vezes grávida, morrer por causa disso.

Já que circula um email com informações incorretas, tendenciosas e irresponsáveis sobre um problema de saúde pública mundial, resolvi dar a cara a tapa e esclarecer as pessoas próximas a mim sobre isso.

Se você não repassar este email para quem você conhece, não se preocupe por que você não vai virar um cíclope alado e mau-cheiroso! Mas se achar prudente, re-encaminhe para sua lista de email.

Drª Cristine Pilati Pileggi Castro
Infectologista e Intensivista
Diretora Técnica do IOT

**A síndrome de Guillain Barré tem caráter autoimune. O indivíduo produz auto-anticorpos contra sua própria mielina. Então os nervos acometidos não podem transmitir os sinais que vêm do sistema nervoso central com eficiência, levando a uma perda da habilidade de grupos musculares de responderem aos comandos cerebrais. O cérebro também recebe menos sinais sensitivos do corpo, resultando em inabilidade para sentir o contato com a pele, dor ou calor.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Características da criança de 4 a 6 anos


sábado, 3 de abril de 2010

Características das crianças de 0 a 3 anos

Essas informações estão mais voltadas para o professor de Educação Infantil, porém, tem muita coisa aqui que nós, pais, podemos aproveitar para usar com nossos filhos em casa!








Related Posts with Thumbnails